sexta-feira, 27 janeiro, 2023

ANAP de Cuba agradece a colaboração agroalimentar do Vietnã

Hanói (Prensa Latina) A Associação Nacional de Pequenos Agricultores (ANAP), de Cuba, agradeceu a colaboração recebida do Vietnã no setor agroalimentar, especificamente para aumentar a produção de arroz, café, milho e a aquicultura, relatada aqui neste domingo (26).

O agradecimento, em nome da direção do Partido Comunista (PCC) e do governo cubano, foi transmitido pelo presidente da ANAP, Rafael Santiesteban, ao seu homólogo da União de Camponeses do Vietnã (UCV), Luong Quoc Doan, durante uma videoconferência com o objetivo de estreitar os laços entre as duas organizações e iniciar uma nova etapa de trabalho.

Em seu discurso, Santiesteban valorizou como principal força a ANAP e a UCV que trabalham arduamente na construção do socialismo e cuja principal função é o vínculo com o campesinato para contribuir, através da produção agrícola, para a soberania alimentar, tão necessária nestes tempos de crise global e sistêmica do capitalismo.

Com esta troca, quis dizer, queremos também prestar homenagem aos nossos dirigentes Fidel Castro Ruz e Ho Chi Minh, forjadores das exemplares relações amistosas entre Cuba e o Vietnã.

O também membro do Comitê Central do Partido Comunista de Cuba e do Conselho de Estado agradeceu aos seus interlocutores da União de Camponeses do Vietnã “as valiosas informações que nos forneceram, muito valiosas e úteis para o nosso trabalho”, e ofereceu-lhes detalhes sobre a organização que lidera.

Ele destacou que quando Cuba fala sobre o setor agrícola, o impacto negativo causado pelo bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto por mais de seis décadas por sucessivos governos dos Estados Unidos deve necessariamente ser revisto.

Essa política genocida foi intensificada durante o governo de Donald Trump com 243 medidas que se mantêm durante o mandato de Joe Biden, e seus efeitos foram exacerbados pelos efeitos combinados da pandemia de Covid-19 e da crise econômica mundial, disse.

Neste contexto, explicou, foi aprovada em Cuba a Lei de Soberania Alimentar e o Ministério da Agricultura elaborou o Plano de Soberania Alimentar e Educação Nutricional, que se baseia na gestão de sistemas alimentares locais, soberanos e sustentáveis, constituindo a plataforma para alcançar a plena segurança nesta área.

Santiesteban também fez alusão aos Encontros Internacionais de Agroecologia, Agricultura Sustentável e Cooperativismo, organizados pela ANAP a cada dois anos, e considerou que novembro próximo poderia ser um espaço apropriado para a participação da União de Camponeses do Vietnã.

FIQUE POR DENTRO