terça-feira, 31 janeiro, 2023

Artista mexicano encontra novas inspirações no Vietnã

Artista contemporâneo mexicano Roberto Arcaute (Fonte: VNA)

O artista contemporâneo mexicano Roberto Arcaute escolheu o Vietnã como destino final de sua viagem para realizar um projeto de cerâmica sobre o tema meio ambiente.

Hanói (VNA) – O artista contemporâneo mexicano Roberto Arcaute escolheu o Vietnã como destino final de sua viagem para realizar um projeto de cerâmica sobre o tema meio ambiente.

A obra, intitulada União: Narrativas de uma civilização, recolhe resíduos como canos, móveis, garrafas plásticas, entre outros, para transformá-los em esculturas de porcelana.

O projeto conta com nove esculturas geradas a partir de diferentes resíduos que o artista selecionou, divididos em três grupos, sendo o primeiro feito a partir de resíduos domésticos, como papel, vidro, garrafas plásticas; o segundo, resíduos urbanos; e o último com resíduos comerciais de escritórios, restaurantes e lojas, geralmente alimentos, papel ou papelão.

Arcaute explicou que a palavra União neste projeto se refere à coleta e conexão de objetos individuais em um bloco, que busca mostrar como uma narrativa de uma sociedade de consumo é construída e como seus resíduos podem ser reincorporados à civilização a partir de reproduções. .

O artista de 46 anos realizou a obra por um período de cinco anos sob o patrocínio do governo mexicano, passando pelo México, Estados Unidos, China e outros territórios antes de chegar ao Vietnã.

Ele chegou ao país há oito anos como turista e teve a oportunidade de conhecer a cultura local em primeira mão. Arcaute ficou particularmente impressionado com a cerâmica artesanal vietnamita devido à sua sofisticação e singularidade, e decidiu finalizar seu projeto na vila de cerâmica de Bat Trang.

“Foi uma grande aventura ter essa experiência visual. Acredito que Bat Trang está se tornando famoso no mundo e em breve ouviremos muito mais sobre essa região maravilhosa do Vietnã”, disse.

Arcaute também colaborou com a Embaixada do México em Hanói para realizar uma série de atividades artísticas, como uma conferência na Universidade de Belas Artes do Vietnã.

O autor planeja expor União: Narrativas de uma Civilização no México e no Vietnã no próximo ano e, ao mesmo tempo, publicar um livro que descreve todo o processo de produção em quatro idiomas: espanhol, inglês, chinês e vietnamita.

FIQUE POR DENTRO