sexta-feira, 27 janeiro, 2023

Diretor japonês encerra trilogia de Agente Laranja no Vietnã

Hanói (Prensa Latina) A diretora japonesa Masako Sakata apresentará no dia 20 o filme Long Time Passing, que completa a trilogia dedicada aos estragos causados no Vietnã pelo Agente Laranja, foi anunciado nesta quint6a  (18/08).

Com duração aproximada de uma hora, o longa-metragem narra a vida de Tran Thi Hoan, uma menina que nasceu sem as duas pernas e a mão esquerda em decorrência de ataques com o perigoso agente químico, utilizado durante uma década pelas tropas norte-americanas na Guerra do Vietnã.

Também aborda a situação de outras pessoas afetadas pelo Agente Laranja e a luta de um ex-jornalista em um tribunal francês contra empresas químicas dos EUA.

Sakata viajou para o Vietnã em 2004 para conhecer as consequências do que é considerado a maior, mais duradoura e catastrófica guerra química da história da humanidade, após a morte do marido, também vítima da exposição à toxina durante as filmagens para os Estados Unidos. Exército.

A diretora japoesa, recordou a agência noticiosa VNA, estreou em 2007 o filme Agent Orange: A Personal Requiem (Agente Orange: A Personal Requiem) e quatro anos depois Living the Silent Spring (Living the Silent Spring), ambos vencedores em vários festivais de filmes no mundo e no Japão.

Segundo fontes jornalísticas, cerca de 4,8 milhões de vietnamitas foram expostos a esta substância química, enquanto outros três milhões, que são seus filhos, netos e até bisnetos, continuam afetados, apesar da guerra ter terminado há quase meio século.

O que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos apelidou de “Operação Ranch Hand” começou em 10 de agosto de 1961 e durou uma década, durante a qual cerca de 80 milhões de litros de produtos químicos tóxicos, 61% Agente Laranja, foram pulverizados em mais de três milhões de hectares de terra no sul do país. Vietnã.

Estimativas da Associação Vietnamita de Vítimas do Agente Laranja/dioxina e da Cruz Vermelha nacional indicam que dos três milhões de vietnamitas afetados por esta substância letal, pelo menos 150.000 crianças nasceram com defeitos congênitos e um milhão de pessoas sofrem graves consequências.

FIQUE POR DENTRO