quinta-feira, 30 maio, 2024

A economia do Vietnã crescerá 6,6% este ano, segundo previsão da OCED

Foto ilustrativa (Fonte:VNA)

A economia do Vietnã crescerá 6,6% este ano e em um ritmo semelhante em 2024, de acordo com as previsões da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Hanói (VNA) – A economia do Vietnã crescerá 6,6% este ano e em ritmo semelhante em 2024, segundo previsões da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Em relatório nesta sexta (31) divulgado, aquela entidade apontou que o principal impulsionador desse crescimento será o investimento estrangeiro no setor manufatureiro, especialmente eletroeletrônico, maquinário, têxtil e calçadista, além do relaxamento por parte da China das medidas de prevenção da Covid-19. 19.

Nesse ritmo, a OCDE acredita que o Vietnã continuará a liderar as cinco maiores economias do Sudeste Asiático . O crescimento nas Filipinas está projetado para atingir 5,7% em 2023 e 6,1% em 2024; Indonésia (4,7% e 5,1%); Malásia (4,0% e 4,2%) e Tailândia (3,8% e 3,9%).

O relatório da OCDE indica que o fim dos programas de apoio após a pandemia criará as condições para o Vietnã melhorar sua situação financeira pública. No entanto, a demanda mais fraca provavelmente diminuirá o investimento na economia do país da Indochina.

O documento também recomenda continuar a acompanhar de perto as tendências da inflação.

Ele destaca que, na indústria do lazer, o Vietnã tem pontos fortes graças às suas belas paisagens, variedade de tipos de turismo baseados na vida da comunidade, enquanto o turismo patrimonial, cultural e gastronômico também tem grande potencial.

Ele observou que os maiores desafios para o Vietnã são melhorar a qualidade da infraestrutura, vincular os provedores de serviços turísticos, expandir a participação local e controlar melhor o turismo de massa em áreas naturais.

Segundo a OCDE, o Vietnã também precisa diversificar suas fontes de visitantes do exterior, focando nos mercados dos países da ASEAN e da Índia, que o país da Indochina explora atualmente com recursos limitados em comparação com países vizinhos como Laos, Camboja ou Malásia.

FIQUE POR DENTRO