quarta-feira, 29 maio, 2024

Vietnã pode enfrentar grave escassez d’água a partir de 2030

Hanói (Prensa Latina) A partir de 2030, o Vietnã poderá enfrentar uma grave escassez de água se não manejar esse recurso com eficácia, alertou um alto funcionário do governo por ocasião da comemoração do Dia Mundial do líquido vital.

 A demanda de água do país deve aumentar para cerca de 122 bilhões de metros cúbicos todos os anos a partir de 2030, 1,5 vezes o valor atual, disse o vice-diretor do Departamento de Gestão de Recursos Hídricos do Ministério de Recursos Naturais e Meio Ambiente, Nguyen Minh Khuyen.

Atualmente, e de acordo com estatísticas preliminares, a nação explora anualmente 84 bilhões de metros cúbicos do precioso líquido, incluindo 3,8 bilhões de metros cúbicos de águas subterrâneas e mais de 80 bilhões de metros cúbicos de águas superficiais.

Minh Khuyen explicou em entrevista à agência noticiosa VNA que a época de maior consumo é durante a estação seca (julho a setembro) quando mais de 80 por cento da água é utilizada para atividades agrícolas.

A esse respeito, citou os critérios do Banco Mundial (BM) e da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) no sentido de que o Vietnã é um país com baixa eficiência no uso desse recurso fundamental, especialmente no referido setor.

De acordo com uma avaliação do BM realizada em 2019, a água utilizada na agricultura representava 81 por cento do consumo total do país, no entanto, este ramo gera apenas entre 17 e 18 por cento do Produto Interno Bruto.

O gestor salientou ainda que o desperdício do líquido vital persiste e o índice de perdas nas zonas urbanas e rurais continua a ser elevado, atingindo cerca de 25 por cento.

A eficiência no aproveitamento é muito inferior à capacidade projetada das obras hidráulicas, sobretudo as destinadas à rega e à agricultura, enquanto algumas localidades ainda enfrentam dificuldades no acesso a água limpa e segura, sobretudo nas regiões centro e centro-sul, disse.

Em relação ao projeto de Lei de Recursos Hídricos (modificado) em que está trabalhando o Ministério de Recursos Naturais e Meio Ambiente, antecipou que se concentra em quatro políticas fundamentais para garantir a segurança das fontes de água.

Recordou ainda que no âmbito dos esforços para uma melhor gestão destes bens, foi promulgada em 2012 a atual Lei dos Recursos Hídricos, a par da qual o Governo e o próprio ministério promulgaram cerca de 70 documentos, enquanto as autarquias emitiram cerca de 500 mais para orientar a aplicação dessa legislação.

FIQUE POR DENTRO